segunda-feira, 6 de julho de 2009

A MANILHA VAI SECA (46): Mó de cima, mó de baixo

Até 7 de Junho:

- JOSÉ SÓCRATES: Vai vencer as Europeias, as Autárquicas e as Legislativas, embora não seja certo que consiga a maioria absoluta nestas últimas. É o líder que agrega a esmagadora maioria das tendências dentro do PS (com excepção do grupo de Manuel Alegre) e o secretário-geral incontestado. Mistura dinamismo com algumas medidas acertas e sabe embrulhá-las na forma de propaganda. Teve a coragem de implementar certas reformas essenciais e de lutar contra muitos interesses corporativos instalados na sociedade portuguesa. Mau grado alguns defeitos e muitas dúvidas em torno de certos dossiers polémicos (como o Freeport ou a Independente), em Portugal, não se vislumbra outro líder político com capacidade para batê-lo.

- MANUELA FERREIRA LEITE: Mais um erro de casting do PSD, que deve ser corrigido antes da sequência tripla de eleições. Se continuar à frente do partido, vai perder as Europeias, as Autárquicas e as Legislativas (apesar de poder ficar com a vitória moral de, eventualmente, conseguir evitar a maioria absoluta do PS e de José Sócrates). Não sabe falar, não se sabe vestir, não tem imagem, não tem empatia com o público, não demonstra simpatia, não é capaz de agregar as várias tendências dentro do PSD. É feia que nem a noite das tempestades. É um desastre a escolher candidatos, especialmente quando aposta em Santana Lopes para Lisboa e Paulo Rangel para Estrasburgo. Fez declarações homofóbicas, racistas e anti-democráticas que só prejudicaram o PSD. Mais dia, menos dia, é destronada por Pedro Passos Coelho.

Depois de 7 de Junho:


- JOSÉ SÓCRATES: Simulou a postura arrogante com uma falsa humildade, que lhe vai custar uma derrota nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. Saiu-se com o discurso das “campanhas negras”, que lhe vai custar uma derrota nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. Lidera um partido e um Governo sem rumo, num sinal claro de que vai perder as Legislativas e, provavelmente, as Autárquicas. O episódio dos cornos do Manuel Pinho pode custar-lhe as Legislativas e, provavelmente, as Autárquicas. O caso da venda da TVI à PT foi desmascarado e, apesar da inflexão, deve custar-lhe a vitória nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. As dúvidas sobre o seu envolvimento no Caso Freeport devem custar-lhe a vitória nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. Combateu cegamente várias classes profissionais e não soube distinguir entre interesses corporativos e descontentamento generalizado de amplos sectores da população, o que anuncia uma derrota nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. Os portugueses já não engolem ilusionismos propagandistas e isso vai ditar a sua derrota nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. Suspendeu os projectos da linha ferroviária de alta velocidade e do novo aeroporto de Lisboa, os quais, pelo despesismo que representam, podem ditar a derrota nas Legislativas e, provavelmente, nas Autárquicas. António Costa deve suceder-lhe depois da derrota confirmada nas Europeias e quase certa nas Legislativas… e, provavelmente, nas Autárquicas. Foi o pior primeiro-ministro de que há memória.

- MANUELA FERREIRA LEITE: Ganhou as Europeias com tenacidade e teve o bom-senso de escolher Paulo Rangel para cabeça-de-lista das Europeias. Com Santana Lopes, vai ganhar a Câmara de Lisboa a António Costa. Tem uma imagem de seriedade, compostura e de dizer a verdade, não iludindo os portugueses com falsas esperanças e expectativas. Não faz promessas que não pode cumprir. Ú um triunfo da seriedade, do rigor e da competência sobre a manipulação, o espectáculo e a propaganda. Não está envolvida em escândalos que desprestigiam os cargos que ocupa, a vida política portuguesa e a imagem do país lá fora. Não vai apostar em megalomanias e vai reforçar os apoios às PME’s, que compõem a esmagadora maioria do tecido empresarial português. Será a primeira mulher a ser eleita primeira-ministra em Portugal, já que Maria de Lurdes Pintassilgo liderou um Governo de iniciativa presidencial e, como tal, não foi a votos. É a salvadora da pátria. Vai varrer Pedro Passos Coelho e outros parasitas do PSD. Venceu as Europeias, vai vencer as Legislativas e, provavelmente, as Autárquicas.

(…)

Isto é só um exercício para demonstrar como muitas opiniões mudam ao sabor de ventos e marés. Para quem está na mó de baixo, é difícil sair de lá e Sócrates vai sabê-lo melhor do que ninguém até Setembro (Manuela Ferreira Leite já conhece o segredo).

O que eu queria salientar com este post é que as opiniões variam muito ao sabor do vento. Manuela Ferreira Leite já foi uma besta, mas agora é bestial. Sócrates tem feito o trajecto oposto. Mas o que é verdade é que Manuela Ferreira Leite continua a ter os mesmos defeitos que tinha antes de 7 de Junho e que, na época, eram criticados por meio mundo, a começar pelo próprio PSD. Do mesmo modo, José Sócrates não perdeu as qualidades que tinha antes das Europeias e que, antes de 7 de Junho, até lhe mereciam bastantes elogios (e muitas críticas por parte de certos rivais invejosos).

Sócrates e Ferreira Leite são o que são. Têm virtudes e têm defeitos. São humanos e ponto final.

Depois de os ataques a Ferreira Leite terem estado na moda, é chegada a hora de dizer o pior possível do Governo e de José Sócrates. O leão está moribundo e todos lhe batem, mesmo aqueles que já comeram nas mãos da fera ferida e que agora rastejam diante da eventualidade de uma nova liderança.

Mas a verdade continua a existir para além das modas e dos resultados de umas eleições às quais nenhum dos dois concorreu. Por isso, digo-vos: Antes de entrarem em modas, analisem friamente um e outro. Analisem os programas de PS e PSD (e, já agora, dos demais partidos). Nenhum deles é uma besta, nenhum deles é bestial.

Eles são o que são.

3 comentários:

Maria João disse...

É como dizes, Dr. Mento:
Nenhum deles é besta nem bestial... São ambos humanos e ponto final.

O que tenho pena é que eles próprios muitas vezes se esqueçam disso...

Um beijinho

Peter disse...

Dr Mento

É como dizes:

"o que é verdade é que Manuela Ferreira Leite continua a ter os mesmos defeitos que tinha antes de 7 de Junho e que, na época, eram criticados por meio mundo, a começar pelo próprio PSD. Do mesmo modo, José Sócrates não perdeu as qualidades que tinha antes das Europeias e que, antes de 7 de Junho, até lhe mereciam bastantes elogios (e muitas críticas por parte de certos rivais invejosos)"

Legislativas para o PS. Autárquicas são problemas locais, menos no que respeita ao Porto, que o PSD já ganhou e a Lisboa, onde também poderá vencer, embora com muita dificuldade.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Dr.Mento

Não há favas contadas em política.
Duvido que o leão Sócrates esteja moribundo.
É como o Santana, tem 7 vidas como o gato.
O que lamento é que os problemas sociais se agravem e se dê o benefício da dúvida a quem os cria.

Abraço