segunda-feira, 22 de junho de 2009

ESPADAS QUE PICAM (6): Não devia existir orgulho LGBT

No fim-de-semana que agora findou, teve lugar mais uma marcha do orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e trangéneros), a qual, segundo a organização terá sido a maior algum dia realizada em Portugal.

É com profunda tristeza que verifico que estas marchas ainda se realizam. Por mim, deveriam fazer tanto sentido como uma marcha do orgulho heterossexual.

Numa sociedade evoluída, a orientação sexual de cada um não deveria ser sinónimo de orgulho ou de vergonha. Numa sociedade evoluída, a existência de várias orientações sexuais deveria ser vista como algo perfeitamente normal, banal, corriqueiro. Numa sociedade evoluída, não haveria marchas para dar mais visibilidade a certas orientações sexuais, porque lésbicas, gays e bissexuais seriam considerados tão normais como os heterossexuais (os únicos que, infelizmente, são considerados normais aos olhos de uma sociedade ainda demasiado agarrada a estereótipos absurdos).

Numa sociedade evoluída, cada um deveria saber respeitar que o outro pode ser diferente de nós e que é essa diversidade (de orientações sexuais e não só) que torna o Mundo mais rico. Todos somos pessoas, todos somos iguais nas nossas diferenças.

Apesar de tudo, tenho esperança que estas manifestações do gay pride conduzam justamente à morte… do gay pride. Mas, para isso, teremos que esperar que a tal sociedade evoluída se decida a instalar-se de vez na esmagadora maioria (ou na totalidade) dos países do Mundo.

1 comentário:

Esterilização Obrigatória disse...

Para formalizar a inscrição do Partido Pelos Animais junto do Tribunal Constitucional são necessárias 7500 assinaturas de cidadãos eleitores, e nós estamos a recolher assinaturas.
Coloca a tua assinatura nesta causa justa
http://esterilizacao-o.blogspot.com/